-

O grande assalto ao trem pagador

Assalto ao trem pagador, 1963, Inglaterra
Erra quem pensa que os grandes assaltos a trens acabaram no século XIX, juntamente com homens como Jesse James. No início da década de 1960, um bando de ingleses executou um cinematográfico assalto a um trem que, em matéria de audácia e de êxito, teria chamado a atenção dos seus "parentes" americanos do século retrasado. 
Era 8 de agosto de 1963 quando 14 homens mascarados atacaram um trem postal que se dirigia de Glasgow para Londres e apoderaram-se de 120 sacos com 2,6 milhões de libras. O artifício para fazer parar a locomotiva foi simples: o grupo apenas mudou um sinal da ferrovia, fazendo o trem parar perto de onde se encontrava o carro de fuga. Contudo, como nenhum crime é perfeito, a afamada Scotland Yard conseguiu, ao fim de alguns dias, identificar os responsáveis - um pintor da construção civil, um cabeleireiro, um vendedor de flores, um carpinteiro, um ourives e dois bookmakers. Todos acabaram na prisão, mas o dinheiro não foi recuperado em sua totalidade - apenas 343.000 libras. Os réus foram condenados a 30 anos de prisão, tempo que calculava-se prudente para evitar que qualquer um dos homens do bando pudesse, ao término de suas penas, aproveitar o dinheiro escondido livremente. 

O mais procurado da Scotland Yard: Ronald Biggs 

Ronald Biggs
Apenas um homem do bando conseguiu escapar das autoridades inglesas: Ronald Biggs, herói para uns, bandido para outros. Pouco após a sentença, Biggs conseguiu escapar da prisão e fugir para o Brasil. Aqui, casou com uma brasileira e teve um filho. Resultado: como tivera um filho brasileiro, conseguiu escapar da extradição. 

Curiosidades 

Como foragido, Ronald Biggs não podia trabalhar legalmente no Brasil, mas isso não o impediu de tirar proveito do azar da polícia da rainha. Da noite para o dia, canecos, camisetas e outros apetrechos com a estampa de Biggs começaram a surgir em pontos turísticos do Rio. Por apenas alguns dólares, qualquer pessoa poderia almoçar e bater um papo com o charmoso anti-herói. 

Em 1981, Biggs foi sequestrado por uma gangue de aventureiros, que o levou até Barbados esperando receber alguma recompensa da polícia britânica. O plano acabou desmascarado, e Biggs fez uso de brechas na lei para ser mandado de volta ao Brasil.

Um criminoso pop-star

Ronald Biggs em 2011, no lançamento de seu mais recente livro
Em 2001, Biggs declarou ao jornal The Sun que estava disposto a voltar para sua terra natal. Mesmo sabendo que seria detido assim que desembarcasse na Inglaterra, Biggs retornou voluntariamente em 7 de maio de 2001, sendo imediatamente preso. Sua viagem, num jato fretado, foi paga pelo The Sun, que também pagou mais de 44,000 libras, além das despesas relativas à viagem, em troca de exclusividade pela história. No dia 28 de julho de 2009, Ronald Biggs foi internado com pneumonia severa, no hospital universitário de Norfolk e Norwich. No dia 6 de Agosto do mesmo ano, o Ministro da Justiça da Inglaterra, Jack Straw, concedeu liberdade a Biggs, devido ao seu debilitado estado de saúde.