-

Top 10 gravações de áudio bizarras


Já escrevemos listas sobre gravações históricas e gravações espetaculares. Mas, agora é a vez de lhes apresentar uma lista de gravações bizarras e misteriosas. Assim, cada item desta nossa lista apresenta temas ou sons que são assustadores de alguma forma. Se você acha que nós deixamos alguma gravação bizarra de fora desta lista, não deixe de nos avisar nos comentários. Boa leitura!

10. Klaus Nomi – The Cold Song

Klaus Nomi (nascido Klaus Sperber) foi um cantor alemão, reconhecido pelas suas notáveis atuações vocais e por se caracterizar de forma bizarra para subir ao palco.Na década de 1980, Nomi chegou ao auge de sua carreira e notoriedade, sendo reconhecido no mundo pelas suas apresentações estranhas e teatrais, pela maquiagem pesada, trajes incomuns.
Em 1983, com a idade de 39 anos, Klaus tornou-se uma das primeiras celebridades a morrer de AIDS. Conforme a doença avançava e sua saúde piorava, ele foi mudando sua caracterização e seu estilo musical. O vídeo acima é uma gravação ao vivo de Nomi cantando "The Cold Song", música de autoria de Purcell. Alguns meses depois dessa gravação, em 6 de agosto de 1983, Klaus Nomi faleceu.
P.S.: The Cold Song é uma canção sombria que fala sobre a morte. Confira o verso final: “Deixe-me, deixe-me / Deixe-me, deixe-me / Congelar de novo / Deixe-me, deixe-me / Congelar de novo até a morte.

9. Papai Noel de Thomas Edison e Harry E. Humphrey

Esta é uma gravação 1922 feita por Thomas Edison (um dos maiores inventores do século XX) de Harry E. Humphrey (que trabalhava com narrações e palestras). A ideia original, de Edison, até que fazia sentido. O inventor queria gravar uma mensagem do “Papai Noel” para que as crianças pudessem ter alguns momentos de alegria e mágica durante o Natal – claro, isso se os pais dessas crianças tivessem um fonógrafo em casa e dinheiro para comprar o disco. Contudo, o resultado dessa gravação é extremamente horrível, pra não dizer traumatizante. Na gravação, Papai Noel ri como um duende maligno e diz que “está escondido dentro do fonógrafo”. Que medo!

8. A primeira gravação de áudio

Em 1860, o francês Édouard-Léon Scott de Martinville inventou o fonoautógrafo, o primeiro aparelho capaz de gravar sons e vozes. Contudo, o aparelho apenas conseguia gravar o som em uma mídia visível e não tinha a capacidade de reproduzir o que fora gravado. As gravações, conhecidas como fonoautogramas, só puderam ser reproduzidas com sucesso em 1998, utilizando tecnologia computacional. Na gravação acima, feita há mais de 150 anos atrás, você pode ouvir a voz de uma mulher cantando “Au clair de la lune”. Bom, na verdade, se tocada em uma velocidade menor, a voz na gravação parece ser de um homem – provavelmente a voz
de Édouard-Léon, o inventor do aparelho. A bizarrice dessa gravação, ao meu ver, está em sua antiguidade. Afinal, quantas gerações já morreram desde que o fonoautógrafo fez essa gravação.

7. Discurso alienígena

Falando em bizarrices, você acredita em alienígenas? Se a resposta for afirmativa, você provavelmente vai gostar de ouvir essa gravação. Afinal, o áudio (ondas de rádio e plasma) foi recebido pela Soda Cassini enquanto ela passava por Saturno. Preste atenção na gravação e tente escutar o “alienígena” falando.

6. Sons de Júpiter

Esta gravação poderia ter saído de um filme de ficção científica, mas é a mais pura realidade. Trata-se de uma gravação feita pela Sonda Voyager do maior planeta a circular o nosso sol: Júpiter. O som captado foi gerado pela vibração de milhares de partículas magnéticas.

5. O poema do revólver

Brion Gysin, o autor do poema do revólver (Pistol Poem), participou da geração beat. Na década de 1960, Brion trabalhou com áudio, vídeo, palavra escrita e poesia visual, experimentando intersecções artísticas das mais variadas. Em 1960, nos estúdios da BBC, em Londres, Brion gravou o “Pistol Poem”, uma espécie de poesia feita com tiros de pistolas e revólveres. Durante a gravação, o engenheiro de som do estúdio chegou a deixar seu posto por alegar “escutar a voz do demônio” e “sentir o mal vindo daquele “poema”.

4. Aleister Crowley

Aleister Crowley foi um ocultista Inglês, escritor, alpinista, poeta, yogi, e um possível espião. Ele era um membro influente de organizações ocultas, incluindo a Golden Dawn, o A?A? e a Ordo Templi Orientis (OTO ). Hoje em dia, Crowley é conhecido por seus escritos mágicos, especialmente o Livro da Lei, considerado o texto sagrado central da Thelema. Nessa gravação, raríssima, o próprio Crowley recita algumas de suas “mágicas”. Muito esquisito.

3. Terremoto de 26 de dezembro de 2004

Em 26 de dezembro de 2004, na Sumatra, um grande terremoto sacudiu o leito marinho e chamou a atenção do mundo inteiro. Recentemente, pesquisadores da Universidade de Columbia, EUA, analisaram os registros sonoros marítimos gravados durante aquele dia. A
gravação acima é o próprio som do terremoto – ou, para alguns, a voz gutural do planeta Terra.

2. Cosmonautas Perdidos

Durante as décadas de 1950 e 1960, a corrida espacial protagonizada pela União Soviética e pelos EUA ajudou a aumentar a tensão em um mundo fragilizado e dividido. Ao redor do mundo, muitos radioamadores e curiosos tentavam, na maioria das vezes em vão, bisbilhotar os céus e as ondas de rádio em busca de novidades. Dentre esses curiosos, a dupla de irmãos italianos Achille e Giovanni Judica-Cordiglia foi uma das mais bem sucedidas. Eles conseguiram gravar, por exemplo, as batidas do coração da cadelinha Laika, o primeiro ser terráqueo a chegar ao espaço. Contudo, em 1961, os irmãos gravaram algo terrivelmente assustador. Era a voz de uma pessoa, provavelmente uma mulher, que pode ter participado de uma pesquisa soviética para entender a capacidade do ser humano em sobreviver no espaço. O áudio (em russo ), afirma: "Isso não é perigoso? Fale comigo! Nossa transmissão começa agora. Eu me sinto quente. Eu posso ver uma chama. Eu vou cair! Sim. Eu me sinto quente, eu vou entrar ..." Nesse instante o áudio foi cortado.

1. Ligação telefônica durante os atentados de 11 de setembro de 2001

Essa gravação mostra um telefonema realizado a partir do 105º andar da torre 2 do World Trade Center, durante os ataques terroristas ocorridos em 2001. É, sem dúvidas, uma das gravações mais horríveis de todos os tempos. Os últimos segundos são extremamente perturbadores.