-

10 segredos do K-Pop de arrepiar os cabelos

A música pop sul-coreana, K-Pop, não é só alegria e visuais cuidadosamente criados

O som chiclete do K-Pop (Korean Pop Music ou Música Pop Coreana) parece bastante inofensivo. Músicas simples e repetitivas como o sucesso viral “Gangnam Style”, de Psy, ou a música doce e melódica da banda Girls’ Generation não parecem esconder escândalos, corrupção e anos de escravidão e exploração por trás da máquina de fazer sucessos chamada K-Pop.

Jovens estrelas são cooptadas pela mais cruel indústria de entretenimento do mundo, começando o “treinamento” ainda crianças. Meninos e meninas com 10 anos de idade, ou menos, são presas a contratos de 10 ou mais anos de duração, tendo de passar a melhor fase de suas vidas sob a vigilância de agências que só querem tirar proveito financeiro.

Alguns desses jovens se tornam celebridades, mas a maioria deles jamais conhecerá o estrelato. Eles são explorados por anos a fio e, sem mais nem menos, abandonados à própria sorte. Conheça mais sobre o obscuro mundo do K-Pop em 10 fatos de arrepiar os cabelos.

10. Crianças assinam contratos que beiram a “escravidão”


Os astros sul-coreanos não trilham o mesmo caminho que grande parte dos músicos mundiais trilharam, ou seja, aprender, ensaiar, gravar um disco e, com sorte, fazer sucesso. Não. As estrelas do K-Pop assinam um contrato antes sequer de começarem a aprender a cantar ou a tocar algum instrumento. 
O contrato, assinado quando os jovens têm cerca de 10 anos de idade, possui duração de 10 anos – sem falar que existem cláusulas para a vida toda. Durante esse período, as crianças são enviadas a “centros de treinamento” (Boot Camps), onde devem aprender tudo sobre como se tornar uma estrela da música pop. A remuneração? Quase nada. Rasgar o contrato? Só pagando uma multa altíssima para as agências. Não é o melhor dos negócios.

9. Escândalos sexuais permeiam o K-Pop


Em 2009, uma atriz coreana chamada Jang Ja-yeon foi encontrada morta em seu apartamento. 
Lá, as autoridades encontraram uma carta em que a jovem atriz explicava o motivo que a levou a cometer suicídio: seu empresário a obrigava a trabalhar como prostituta para homens poderosos.  Sempre que ela tentava fugir ou se recusava a atender um homem, seu empresário a espancava. 
Munidos com a evidência deixada por Jang, a polícia sul-coreana invadiu o escritório da agência e encontrou, no terceiro andar do prédio, uma sala de sexo secreta escondida atrás de uma parede com painéis. A agência mantinha uma espécie de bordel em seu escritório para manter os VIPs entretidos.
A revelação da operação foi um grande escândalo na Coréia do Sul, mas não foi um incidente isolado. Dois terços de todas as meninas coreanas na indústria do entretenimento dizem que foram pressionadas a manter relações sexuais com um executivo ou um político para avançar em suas carreiras. No mundo do entretenimento coreano, é assim que as coisas são feitas. 


8. Um terço das estrelas sul-coreanas foram vítimas de estupro ou assédio sexual


Mesmo que uma aspirante a estrela pop recuse a se tornar uma prostituta de luxo e seja protegida por alguém, ainda há uma boa chance de que ela seja violentada por seu empresário ou por outro trabalhador do meio de entretenimento. Na Coréia do Sul, isso acontece muito – como vocêpode ler aqui.
De acordo com uma pesquisa, um terço das aspirantes a estrelas coreanas foram molestadas. Um dos piores foi Jang Suk-woo, um treinador de talentos da agência Open World Entertainment. Jang foi o homem que a empresa colocou a cargo de rastrear novos talentos e colocá-los no “campo de treinamento”, e ele usou suas estrelas aspirantes como seu próprio harém pessoal.
Mais de 20 pessoas, inclusive crianças, apresentaram acusações de violêcia e assédio sexual contra Jang. 
De acordo com suas vítimas, Jang drogaria as meninas e as estuprava enquanto estavam inconscientes. Em outro caso, ele teria ordenado que meninos estuprassem jovens garotas enquanto observava tudo por um monitor. Atualmente, Jang está preso.

7. As estrelas do K-Pop são forçadas a fazer cirugias plásticas


A maioria dos contratos das estrelas sul-corenas exige que elas sejam submetidas a uma cirurgia plástica. Tanto mulheres quanto homens são obrigados, por contrato, a fazer as cirurgias.
Na Coréia do Sul, é muito comum que os jovens talentos sejam obrigados, por suas agências, a fazerem rinoplastias para que possam entrar em um dos muitos “centros de treinamento” para talentos. Algumas vezes, os jovens precisam passar por diversas cirurgias, sem que ninguém questione o motivo e o perigo dessas intervenções.
Se você duvida das cirurgias plásticas obrigatórias, acesse este artigo.

6. Estrelas do K-Pop não ganham dinheiro


As estrelas do K-Pop não estão entre as mais ricas das celebridades, a não ser que seu sucesso atinja proporções “bettlenianas”. A verdade é que a maioria dos jovens talentos vive em apartamentos divididos com outros jovens, alimentando-se de cup-noodles e de refrigerantes. 
Recentemente, uma das integrantes da banda Girls’ Generation disse que precisou frequentar 11 anos os centros de treinamento até conseguir o mínimo para sobreviver sozinha.
Outro caso famoso é o da banda Block B. Segundo seus integrantes, a agência responsável ficou um ano sem repassar qualquer quantia para eles. E o pior: seus pais precisaram pagar 65 mil dólares para que a banda fosse liberada do contrato.

5. Sabe quem limpa os centros de treinamento?


Por cerca de dez anos, as aspirantes a estrelas do K-pop estudam música enquanto vivem em condições semelhantes à escravidão. É uma prática comum proibir os cantores em treinamento de usar smartphones ou, até mesmo, de namorarem. 
Contudo, nem só de música vive um treinando na Coréia do Sul. Todos eles são forçados a trabalhar nos centros: fazer café para os executivos, limpar o chão das agências, entre outros. Ah! E, para os executivos, não importa se você é menor de idade. Pra cantar, tem que esfregar o chão.

4. Os empresários do K-Pop são conhecidos pela prática da chantagem


Para evitar que suas estrelas cancelem o contrato, muitos empresários mantém arquivos com dados íntimos de seus contratados. Isso serve para chantagear os jovens a manterem o contrato com a agência.
Duvida? Até vídeos íntimos os empresários gravam – leia sobe aqui.

3. O dinheiro faz o sucesso que faz o dinheiro


Para catapultar as jovens promessas ao mundo da fama, os empresários “investem” milhões de dólares. Muito desse dinheiro é para subornar rádios e emissoras de televisão. Afinal, o que não é visto nem ouvido não pode ser amado (e comprado).

2. “Táxi, siga aquela estrela do K-Pop!”


Sim. Na Coréia do Sul existem taxistas que  cobram pelo serviço de “perseguição de estrelas pop”. Por cerca de 100 dólares, uma pessoa pode contratar um táxi que seguirá no encalço de seu artista favorito. Se a moda pega por aqui...
Duvida? Então, pega este táxi aqui.

1. “Cuidado, aquele fã quer te matar!”


Nem só de fãs histéricas vivem as estrelas do K-Pop. Algumas também são psicopatas. 
Recentemente, uma dessas fãs tentou matar o músico Yunho ao colocar uma espécie de adesivo tóxico em sua bebida. Felizmente, o artista sobreviveu para dar mais dinheiro aos seus empresários.