-

10 curiosidades sobre a cidade perdida de Atlântida

Todo mundo já ouvir falar sobre a mítica cidade perdida de Atlântida, que teria sido engolida pelas águas do oceano há milhares de anos. Mas, quem teria inventado essa história? Ou seria ela real? Onde ficava localizada a cidade? Quais razões a transformavam em uma cidade tão espetacular e avançada?

Só conhecemos a história de Atlântida por causa do filósofo grego Platão, que há mais de 2 mil anos atrás escreveu sobre a cidade. Em dois de seus famosos diálogos, Timaeus e Critias, Platão escreveu que o sábio grego Solon ouviu sobre Atlântida quando estava no Egito. Ao retornar, Solon compartilhou a história com Dropides, seu parente. De Dropides, a história foi repassada para Critias, que contou a seu neto, também chamado Critias, que finalmente a compartilhou com o filósofo Sócrates e outros cidadãos atenienses.

A lista de Platão, contudo, não deve ser tomada como fato histórico, mas como um verdadeiro relato do que Platão efetivamente escreveu. Se decidirmos acreditar na lenda, essa decisão é nossa própria escolha. Fato ou realidade, a cidade perdida de Atlântida ainda chama muito a atenção das pessoas, que são seduzidas pela ideia de um reino há muito desaparecido.

10. A verdadeira localização de Atlântida: será?


Tudo o que sabemos sobre a lendária civilização de Atlântida, como dito acima, vem de algumas páginas escritas por Platão, no século IV a.C. De acordo com o filósofo grego, pupilo de Sócrates, Atlântida existiu 9 mil anos de seu próprio tempo (cerca de 11 mil anos atrás).
No auge, a cidade era considerada um dos maiores poderes navais do mundo, o que não impediu  que a ilha desaparecesse no mar em um único dia e noite. Através dos séculos, inúmeros escritores, historiadores, cientistas e exploradores têm debatido sobre o fato de Atlântida ter realmente existido, e – se de fato existiu – em que lugar do globo teria sido construída.
Mas, em 2011, pesquisadores americanos afirmaram ter localizado a cidade de Atlântida no território marítimo da Espanha. “É difícil entender que a tsunami tem o poder de varrer 100 Km de terra, mas é disso que estamos falando” - disse o professor Richard Freund, da Universidade de Hartford, Connecticut, que liderou a pesquisa.
Para solucionar o milenar mistério, a equipe usou imagens de satélite, radares e tecnologia subaquática para encontrar a localização exata, ao norte de Cadiz, na Espanha. Lá, segundo os pesquisadores, estaria enterrado nos pântanos do Parque Doña Ana, o antigo domínio conhecido como Atlântida.
Contudo, o tsunami que teria afetado Atlântida não teria causado a morte de todos os seus habitantes. “Os moradores que não pereceram na inundação pela tsunami foram para o interior e construíram novas cidades” - disse Freund.
Os pesquisadores planejam escavar o local para encontrar vestígios que comprovem, definitivamente, a existência e a localização de Atlântida.

9. O nome “Atlântida” é derivado de um semideus grego, não do oceano


A maioria das pessoas provavelmente acredita que o nome da cidade de Atlântida seja uma referência ao ocenano Altântico. Mas, a história mostra que a razão do nome é outra.
Conta lenda que Poseidon, o deus grego do mar, teve cinco pares de gêmeos do sexo masculino com uma moradora de atlântida chamada Cleito. O deus deu a cada um de seus 10 filhos porções diferentes da ilha sobre a qual governar. Adivinhem com qual pedaço de terra ficou Atlas, o primogênito de Poseidon?

8. Metade da história sobre Atlântida está perdida


Sabemos que Platão escreveu, ao menos, dois livros (diálogos) sobre a cidade de Atlântida. Contudo, apenas o diálogo chama Timeu sobreviveu inteiro. A cópia de Critias, infelizmente, está pela metade – aumentando ainda mais o mistério em torno da cidade perdida.

7. A idade de Atlântida


Segundo pesquisadores, a cidade de Atlântida teria cerca de 11,500 anos. Se confirmada sua existência, a história teria de ser reescrita e as consequências seriam gigantescas.

6. Mito ou Realidade?


Segundo Platão, que carece de maiores apresentações, a história é verdadeira. Agora, ninguém pode afirmar que Platão ou Sólon, que conheceu sobre Atlântida em uma de suas viagens ao Egito, foram verdadeiros.

5. Se Atlântida existiu, ela foi um império?


A maioria de nós provavelmente pensa que Atlântida foi uma ilha verdejante rodeada por profundas águas oceânicas azuis e prédios brilhantes. Enquanto a história se concentra na ilha, a maioria de nós provavelmente assumiu que Atlântida não era mais do que isso – uma ilha perdida no oceano atlântico.
Contudo, Platão relata que Atlântida era realmente um império cuja capital se encontrava em uma ilha no oceano atlântico. "Na ilha de Atlântida, havia um império maravilhoso e poderoso que governava toda a ilha e várias outras e partes do continente e, além disso, seu povo comandou partes da Líbia nas colunas de Heracles até o Egito e da Europa até a Tirrenia".

4. Teriam os atlantes visitado as Américas?


Em 1970, o famoso aventureiro Thor Heyerdahl partiu da África em um navio feito de cana chamado Ra II. Thor e seus companheiros navegaram de Safi, Marrocos, do outro lado do Atlântico até Barbados em 57 dias.
A viagem revelou que os barcos de cana poderiam sobreviver às viagens oceânicas e que as pessoas antigas poderiam realmente atravessar o Atlântico nelas. Antigamente, esta façanha era considerada impossível pelos estudiosos.
No entanto, a viagem de Thor não serve omo prova de que os egípcios ou os gregos chegaram às Américas. Por outro lado, Heyerdahl provou que a viagem intercontinental através do ocenao Atlântico, naquele tempo, já era possível.


3. Atlântida e o dilúvio do Mar Negro


Existe uma teoria que pressupõe que Atlântida nunca existiu de verdade, mas que o mito sobre seu desaparecimento foi inspirado por um evento histórico verídico: o rompimento do Bósforo pelo Mar Mediterrâneo e a consequente inundação do Mar Negro, por volta de 5600 a.C.
Naquela época, o Mar Negro era um lago de água doce com a metade de seu tamanho atual. O dilúvio inundou civilizações conhecidas por se desenvolverem ao longo de seu litoral em um curto período de tempo. Conforme habitantes da região se dispersaram, eles espalharam contos sobre o dilúvio e podem ter contribuído – milhares de anos depois – para o relato de Platão sobre Atlântida.

2. Atlântida foi engolida pelo triângulo das bermudas


Essa teoria vem direto das mentes “criativas” e dos pensadores “influentes” por trás do programa “Em Busca de Alienígenas”, do History Channel. De acordo com o pesquisador paranormal Charles Berlitz, Atlântida era um verdadeiro continente localizado perto das Bahamas e que teria sido vítima do famoso “Triângulo das Bermudas”, uma área do Atlântico onde vários navios desapareceram misteriosamente.
Defensores dessa teoria apontam para a descoberta do que parecem ser muralhas feitas por homens e ruas encontradas perto de Bimini (um dos 32 distritos das Bahamas), embora cientistas tenham analisado essas estruturas e concluído que elas eram formações rochosas naturais. Entre pesquisadores paranormais e cientistas, fico com estes.

1. Atlântida nunca existiu


A maioria dos historiadores ao longo da história chegou à conclusão que o relato de Platão sobre a cidade perdida de Atlântida é pura ficção. Segundo essa corrente, o filósofo grego inventou Atlântida como sua visão de uma civilização ideal, e queria que a história de seu desaparecimento fosse um conto de advertência dos deuses punindo a arrogância humana.
Essa teoria é bastante coerente, visto que não existem registros de Atlântida fora dos diálogos de Platão, incluindo os vários outros textos que sobreviveram da Grécia Antiga.

Fontes: MIT; The History Channel; Platão.